quinta-feira, agosto 02, 2012

Unhas para que te quero...

Olá! Nos dias que passam não existe mulher ou menina que se veja sem ter as unhas pintadas, umas com cores mais berrantes, outras mais discretas, pintadas apenas, com desenhos, aplicações de autocolantes, com gel, gelinho, verniz de gel, ou seja toda uma panóplia de possibilidades, tudo para que as mãos estejam ao nossos (e aos dos outros) olhos bonitas (também depende do conceito de beleza, claro está).
O que muitos desconhecem, é que esta moda de embelezar as mãos, já existe à muito.

Na China em "3000 a. C" já se pintava as unhas, a aplicação era morosa e consistia numa tinta feita com base em gelatina, cera de abelha, goma, ovos, orquídea, vegetais, entre muitos outros ingredientes. ~
A unha para ser pintada, precisava de várias aplicações, até ser atingido o objectivo final, a cor desejada.

Em "600 a. C." as unhas continuaram a ser um Ex-libris para a aristocracia chinesa, utilizavam-nas longas e cheias de peças de ouro e de prata, como símbolo de ostentação e riqueza. As unhas eram protegidas com uma pequena caixa.

Só na época do Renascimento é que a “moda” voltou a pegar, na Europa. Nessa altura não se usava cores, apenas cores claras, de acordo com a época Vitoriana.

Já no século passado, mais propriamente nos anos 20 a loucura das unhas pintadas voltou em grande força, nessa altura usava-se as unhas compridas e pontiagudas.

A questão das cores e de quando apareceu verdadeiramente o verniz (ou esmalte) passou por várias fases. Em 1927 a Max Factor lança um produto que consistia num frasco com um pó beije para aplicação nas unhas com uma espécie de pincel.

Mais tarde, as actrizes mais conhecidas como Rita Hayworth promovem o uso de vernizes.

Em 1932, os fundadores da empresa americana Revlon, os irmãos Charles e Joseph Revlon criam um verniz brilhante e colorido com pigmentos e que se aplicava em toda a extensão da unha.

Anna Hamburg,, em 1934 lança a primeira unha pintada artificial .

Na década de 70 aparece a moda dos vernizes sintéticos e a moda das unhas bastante longas.

Na década de 90, começa a aparecer a moda das unhas decoradas, até ao dia de hoje.

No dias que correm é possível encontrarmos vernizes de mil e uma cores e uma sem número de aplicações.
É possível fazê-las em Francesa, Inglesinha , Italiana ou Espanhola.

Espero que tenham gostado.
Cumprimentos a todos.
Sandra C.



terça-feira, maio 15, 2012

" A morte é um sono sem sonhos".

"Aquilo que a lagarta chama fim do mundo, o homem chama borboleta"
Richard Bach

" A morte é um sono sem sonhos".
Napoleão Bonaparte

Com estes dois pensamentos começo o post de hoje... para vos falar mais uma vez de partidas, da morte...
Desta vez não para falar de ninguém próximo de mim, graças a Deus, mas para falar de algo que me incomoda de certa maneira. Este ano de 2012, tem sido um ano complicado, não há quase semana nenhuma que não tenho conhecimento que mais alguém que conheço ou com quem já privei morreu. Nós sabemos que a natureza da vida é mesmo essa, como dizem muitos "ninguém fica cá para semente."
Mas começa a fazer-me alguma impressão ver pessoas da minha geração e pouco mais velhos, com tanto ainda na vida para dar (de certeza que tinham muito ainda para viver), a porem termo à vida, sem se entender muito bem o porquê...
Quando desaparece alguém por doença, ou por ter uma idade avançada, dói, mas ver pessoas tão jovens a morrer, sinto-o como se fosse algo de anti-natura.
Cada um sabe de si... a cada um cabe tomar conta da sua vida, aos que ficam, resta chorar as suas perdas, resta tentar avançar para a frente.
A todos, não se esqueçam de viver a vida, de tornarem cada dia único, cada hora aquela, cada gesto, cada sorriso aquele que faz o coração transbordar de felicidade. E lembrem-se... todos os dias que acordamos, por muito mau que possa ser o acordar, e por muito que nos custe ir trabalhar, devemos sempre lembrar, de quem neste momento gostaria de ter o despertador a tocar para um novo dia.
Beijos a todos e particularmente a quem perdeu recentemente alguém que lhe seja querido.
A figura da pessoa vai-se, mas no coração fica sempre todas as coisas boas, que essas pessoas deixaram.

Sandra C.

quinta-feira, março 08, 2012

Este é mais um dia como tantos outros...

Image from http://peperonity.com

... no entanto diz-se por ai, que hoje se festeja o Dia Internacional da Mulher.
A questão é que muitas são as mulheres que falam deste dia, reclamam-no para si, mas nem tão pouco fazem ideia, o porquê de ele existir, aqui fica o porquê de este dia ser comemorado.
Há umas semanas atrás, ouve alguém que veio em plena "praça pública" falar na importância da mulher na educação dos filhos, e na suposta necessidade da sua presença no lar, na altura ouvi e como andava preocupada com outros assuntos que me interessavam mais, não liguei mais a tal questão.
Mas sim, a mulher é um pilar na educação dos filhos, tal como o pai!
Sim, a mulher faz falta na orientação de uma casa, mas o homem também, imaginem se a maioria de nós que até trabalham em full-tme, agora se lembrassem desta máxima e decidem... "Agora, vou passar a trabalhar apenas quatro horas diárias", era muito bom para a casa, para o ambiente familiar, mas e aquilo com que se compra os feijões? (aqui desculpem a expresão, mas o meu pai usa-a muito e até lhe acho piada...).
Era o descalabro total e absoluto, se neste momento o pouco que ganhamos, mal dá para tudo, quanto mais pensar numa redução de horários...
No dia em que os Exmos senhores do governo começarem a passar a dar os abonos de família que retiraram (mas não falo das misérias que tínhamos, mas sim de valores de de acordo com as realidades!), ai pode ser que as mulheres pensem nesse assunto.
Também as entidades patronais podiam ter a hombridade, de não "solicitar" a quem já faz os ditos horários de full-time, ainda mais horas extraordinárias, talvez assim existisse motivos para celebrar o dia da mulher...
Existe motivos para celebrar todos os dias e não só o de hoje, que quer estejamos bem ou mal, com dor de cabeça (ou outra), bem ou mal dispostas, todos os dias nos levantamos e fazemos mil e uma coisas e tentamos sempre estar com um sorriso na cara, para quem nos é mais querido!
Hoje, ao passar por uma mulher na rua, olhe para ela, sorria, muitas vezes um sorriso, vale mais do que muitas palavras e até do que uma flor oferecida só porque hoje é o dia!
Um bom dia a todas!

Sandra C.

quinta-feira, janeiro 12, 2012

Uma estrela subiu ao céu…



Mãe, faz hoje sete dias que nos deixastes, que deixamos de ouvir a tua voz, que deixei de saber que o telefone, tocava sempre à mesma hora. Não mais vou ouvir as tuas gargalhadas sempre que o Vicente dizia que a “Avó Ludes é malanda”, mas sempre guardarei comigo esses e outros momentos tão especiais…
O meu coração está em paz, pois sei que sempre fiz de tudo o que estava ao meu alcance para te ver feliz…
Não me despedi em vida, mas senti (talvez em pensamento e no meu coração) o teu último suspiro quando me cheguei a ti para te beijar.
Estranhamente, estou a ter uma reacção pela qual não esperava, que é a de não ter quase lágrimas para deitar, não consigo explicar esse facto. Não que esteja a conter-me, porque mais chorona que eu não existe (tu sabes), mas talvez porque apesar de ter sido um choque nas primeiras horas, sabia que este dia se aproximava a passos largos. Apercebi-me disso uns dias antes do Natal, por ocasião da morte de uma outra pessoa bastante querida, ai acho que chorei as penas que tinha para chorar… e o meu coração entendeu que mais do que nunca, esse Natal tinha que ser bom, de preferência o melhor da tua vida… Fiquei muito feliz por te ver feliz e quando se fizeram ao caminho, escondi-me dentro de mim, para me capacitar que esse seria o último Natal em que teria a tua companhia. Durante dias andei a assimilar e na passagem do ano, não pedi nenhum desejo, apenas limitei-me a passar o ano.
Não senti nenhuma impressão a entrar em casa, nem tão pouco em mexer nas tuas coisas, estou em paz…
Da mesma maneira que pela altura da gravidez, esse estado trouxe-me calma, este novo estado da minha vida, voltou-me a trazer de novo uma calma diferente, que não consigo explicar por palavras…
Este não é um até sempre, mas sim um até já.
Em pensamento já o fiz… mas peço-te que olhes por todos e nos protejas onde quer que estejas.
Todos os beijos do mundo para ti…

Sandra C.