quinta-feira, setembro 21, 2017

Sugestões para o fim-de-semana...

E o fim de-semana já está a chegar e muitas coisas giras para se fazer, assim haja tempo para tudo!!

IV Festival da Marmelada Branca de Odivelas, com as típicas bancas desta iguaria fantástica e também recriações históricas.
Onde: No Largo D. Dinis em Odivelas
Quando: De 22 a 24 de Setembro com concertos de Rosinha e dos Amor Electro
Quanto: Entrada Gratuita

Feira Setecentista de Santo Antão do Tojal (Loures), onde vamos poder ver recriações históricas, jogos tradicionais e outras surpresas.
Quando: De 23 a 24 de Setembro
Quanto: Entrada Gratuita

Festa do livro em Belém (Palácio de Belém), esta (mini) feira do livro, vai contar com cerca de 50 editores nacionais. Vamos ter um pouco de tudo, entre poesia, debates, concertos, sessões de autógrafos e livros muitos livros.
Poderemos ainda ter momentos para os mais pequenos, assim como também espaços para ler e uma abertura para o Jardim Botânico Tropical, assim como uma área de restauração.
O Professor Marcelo esmerou-se!
Onde: No Palácio de Belém
Quando: DE 21 a 24 de Setembro
Quanto: Entrada Gratuita a quem entrar pela loja do Museu (ver condições)

Lumina Festival da Luz 2017 em Cascais, é um espectáculo único que recria o espaço urbano da vila com apresentações de luz e cor e espectáculos multimédia
Onde- Baía de Cascais- Passeio D. Luis I
Quando: De 22 a 24 de  Setembro
Quanto: Entrada Gratuita

terça-feira, setembro 19, 2017

Hortas em casa- Parte II - As experiências...


Já muitas foram as experiências que fiz, não só nesta varanda como na da minha mãe..

A primeira de todas foram plantar caroços de tangerina... foi lindo, uns tempos depois muito tímida e insegura nasceu uma plantinha que aos poucos se transformou numa mini tangerineira.
Acabou por morrer, já nem sei bem porquê, mas adorava ir à varanda só pelo prazer de cheirá-la!!

Também já plantei caroços de limão, que deram lugar a um belo limoeiro, que já está plantado num terreno. Ainda não dá limões... mas a seu tempo dará!

A ultima experiência, foi com um caroço de abacate. Já tinha tentado umas três vezes e finalmente consegui! Cerca de um mês depois de o ter posto na terra com um pouco da parte mais pontiaguda de fora, antes de ir de férias, surgiu um mini rebento. Por precaução levei o vaso para que fosse cuidado por alguém e EUREKA, temos Abacateiro!
Já tem cerca de um palmo e meio de altura! Um orgulho!!
Daqui a uns tempos há-de ir para a terra para daqui a muitos anos dar lindos e saborosos abacates!

Aqui fica algumas sugestões de experiências, para fazer sozinho ou com os miúdos:
A técnica do algodão...
Do que precisa:
- Feijões/ Grão, Tremoço
- 1 caixa (de iogurte) ou prato pequeno
- Algodão
- Água

Como fazer:
Molhe o algodão e coloque a semente e deixe ao ar. Vá molhando o algodão conforme as necessidades sem o ensopar.
Dentro de alguns dias, vai começar a ver a germinação a acontecer. Não esquecer de manter o algodão húmido.
Alguns dias depois da germinação se dar, plante a semente germinada, num vaso com terra e é vê-lo a crescer!
Os seus filhos vão adorar, serem dignos proprietários de um pé de feijão... quem sabe até o feijoeiro não dá feijões! Aproveite e conte-lhes a historia do João Pé de Feijão.

Espero que tenham gostado!

Abraços e beijinhos!
Sandra C.


Hortas em casa- Parte I


Este tema é de alguma forma particular para mim, pois sempre tive flores na varanda, a minha mãe adorava-as.
Quando fui para a minha casa, a primeira planta que tive foi uma carnuda, que durou vários anos.
Entretanto muitas outras plantas já tive, entre elas uma avenca. Esta planta já quase morreu em alturas de férias, mas sobreviveu (qual Fénix renascida) e por alturas de Outubro, já fiz transplante dela para outros vasos, para oferecer..

Na minha modesta varanda, tudo nasce, tudo cresce e floresce, até o mais inusitado... Uma cana da India.

Por lá já nasceram rabanetes (raquíticos mas saborosos), tomates cherry (docinhos), feijões, coentros, manjericão e alfaces.

Quanto a flores, já lá tive rosas (minis), avenca, arruda, orquídea, cravo da índia, amarílis e as ditas carnudas, uma que foi "surripiada" de um canteiro de uma floreira e que cresce como se não houvesse amanhã. E uma das mais recentes, é uma roxa, quando a plantei eram apenas dois pés, encontrados no chão, arrancados por maldade de alguém. Em pouco tempo o que a planta cresceu foi incrível.
Agora em Outubro tenho de a mudar para um vaso maior.














Não sou de falar com as plantas, mas acho muita piada conseguir passar pelos processos e todos e de alguma forma ver os frutos do que plantei...
Falarei mais à frente das experiências que fiz e das que pode fazer...
Num outro post falarei ainda do que pode plantar ao longo do ano na sua horta em casa...

Beijos e abraços.
Sandra C.